Seguidores

CIED

CIED

quinta-feira, 25 de maio de 2017

OAB entrega à Câmara pedido de impeachment de Temer

Entidade representativa dos advogados argumenta que o presidente cometeu crime de responsabilidade, com base em delação premiada de executivos da J&F.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) entregou na tarde desta quinta-feira (25) à Câmara dos Deputados o pedido de impeachment do presidente Michel Temer. A entidade também pediu que Temer fique inabilitado de exercer cargo público por oito anos.

A entidade usa como base a delação premiada de executivos da J&F para argumentar que o presidente cometeu crime de responsabilidade e violou o decoro do cargo de presidente. Com base no que foi informado, o ministro Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, autorizou a abertura de inquérito para investigar Temer.
"O pedido da OAB leva em consideração as manifestações do presidente da República, que em dois momentos, em rede nacional de televisão, declara textualmente conhecimento com relação a todos os fatos. O presidente declara que escutou desse empresário, que ele nominou como fanfarrão e delinquente, todos aqueles crimes e nada fez com relação ao que escutou", disse o presidente da OAB, Claudio Lamachia, ao chegar à Câmara.
Antes de protocolar o pedido, Lamachia acrescentou que a entidade também pediu o impeachment de Dilma Rousseff, "o que demonstra que a OAB é uma instituição absolutamente e apartidária."
"Há menos de um ano, lamentavelmente, fomos nós da OAB, fui compelido a apresentar o pedido de impeachment da então presidente da República Dilma Rousseff. A OAB cumpre o seu papel, apresenta dois impeachments de dois presidentes da República, processos de impeachment diametralmente opostos no que diz respeito à questão das ideologias partidárias, o que demonstra que a OAB é uma instituição absolutamente independente e apartidária", declarou.
OAB entrega pedido de impeachment de Temer (Foto: Eugenio Novaes/OAB)
Além do pedido da Ordem, já há outras 16 solicitações de destituição de Temer protocoladas no Congresso Nacional.
Desses pedidos, 13 foram apresentados desde a semana passada, após se tornar público o conteúdo da delação premiada dos donos da JBS, Joesley e Wesley Batista.
As delações atingem, principalmente, o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves (PSDB-MG), afastado do mandato parlamentar por determinação do Supremo Tribunal Federal.
O pedido da OAB foi protocolado na Câmara pelo presidente da entidade, Claudio Lamachia, por conselheiros federais e presidentes das seccionais da entidade representativa dos advogados.
No último fim de semana, representantes da OAB de 24 estados e do Distrito Federal votaram a favor da apresentação de um pedido de impedimento do peemedebista. Só a seccional da entidade no Amapá se posicionou contra.
O presidente Michel Temer (Foto: Ueslei Marcelino/Reuters)

Gravação

Como parte do acordo de delação, Joesley Batista entregou ao Ministério Público Federal gravação de uma conversa com Temer na qual relatou crimes que teria cometido para obstruir a Justiça.
O empresário usou um gravador escondido durante uma reunião com o presidente na noite de 7 de março, no Palácio do Jaburu, residência oficial da Vice-presidência, onde Temer mora.
O áudio também dá a entender, segundo os investigadores da Lava Jato, que Joesley teria recebido aval do presidente para comprar o silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha. A defesa de Temer afirma que o áudio foi editado a pediu a suspensão do inquérito.
Na avaliação da OAB, independentemente de uma eventual edição da gravação entre Temer e o empresário, a conversa no Palácio do Jaburu indica que o presidente da República cometeu crime de responsabilidade.
A OAB identificou crime de responsabilidade em dois trechos da conversa entre Temer e Joesley. No primeiro, o empresário diz que tinha a favor dele dois juízes e um procurador. A entidade dos advogados afirma que o presidente deveria ter informado às autoridades imediatamente. Na conversa, Temer responde "ótimo, ótimo".
Em outro trecho, o delator da Lava Jato pede ajuda a Temer para resolver assuntos pendentes no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Para a OAB, um favor pessoal é incompatível com o cargo de presidente.


G1
Leia Mais ››

Homem morre vítima de afogamento na Zona Rural de Riacho dos Cavalos


Um homem identificado por Marivaldo morreu no final da tarde desta quarta-feira (24) vítima de afogamento em um açude no Sítio Malhada da Pedra, zona rural de Riacho dos Cavalos.
A vítima ainda chegou a ser socorrida por uma ambulância do município até o Hospital Regional de Catolé do Rocha, mas infelizmente ele não resistiu e veio a óbito.
O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) na cidade de Patos.
RIACHO NOTÍCIAS
Leia Mais ››

PM apreende arma com adolescente suspeito de tentativa de homicídio em Catolé do Rocha


Policiais militares lotados no 12º BPM, sediado em Catolé do Rocha, sertão paraibano, apreenderam no final da tarde desta quarta feira (24 de maio) um revólver calibre 38 com seis munições intactas no Sítio Lagoa de Pedra, zona rural de Catolé do Rocha.
A arma de fogo estava em poder de um adolescente de 16 anos de idade, suspeito de ser o autor de uma tentativa de homicídio ocorrido no início do ano em Catolé. O menor, que também é um dos suspeitos  dos constantes roubos a caminhoneiros na estrada que liga Catolé a Patu, foi apreendido por força de uma mandado de busca e apreensão.
O jovem, juntamente com a arma de fogo apreendida, foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil de Catolé do Rocha para que fossem adotadas as medidas cabíveis ao caso.
CATOLÉ AGORA
Leia Mais ››

91 presos fogem de penitenciária através de túnel no RN


A maior fuga já registrada na história do sistema prisional do Rio Grande do Norte aconteceu na madrugada desta quinta-feira (25). Foi na Penitenciária Estadual de Parnamirim, na Grande Natal, de onde 91 presos escaparam por um túnel de aproximadamente 30 metros de extensão. Nove foram recapturados. As informações foram confirmadas pela Secretaria de Justiça e da Cidadania (Sejuc), que já determinou a abertura de uma sindicância para apurar se houve facilitação.
Inicialmente, o secretário Luis Mauro Albuquerque, titular da Sejuc, havia informado a fuga de 82 detentos. Depois, retificou a informação ressaltando que nove haviam sido recapturados, e que o número exato de fugitivos era 91, restando 82 soltos pelas ruas.
A lista com os nomes dos detentos que permanecem foragidos ainda não foi divulgada.
Até então, a maior fuga ocorrida no estado havia sido a de janeiro deste ano, durante o massacre de Alcaçuz. A penitenciária, a maior do RN, fica em Nísia Floresta, também na região metropolitana da capital potiguar. A Secretaria de Justiça e da Cidadania (Sejuc) considera que pelo menos 26 presos foram assassinados na ocasião, e que 56 conseguiram escapar em meio à matança.
A Penitenciária Estadual de Parnamirim tem capacidade para 436 detentos. No entanto, abrigava 589 presos antes da fuga.

Celas sem grades

Segundo o secretário da Sejuc, os presos da PEP estão soltos dentro da unidade desde 2015, quando houve uma rebelião generalizada e as grades das celas foram arrancadas. O resultado disso é que os detentos circulam livremente pelos dois pavilhões e áreas de convivência da penitenciária. “Não dá pra realizar nenhum procedimento nestas condições, com os detentos soltos”, admitiu Luiz Mauro. Agora, a unidade deve passar por reformas, segundo o secretário.

A fuga

Segundo a Polícia Militar, a debandada aconteceu por volta das 4h. Após a descoberta da fuga, a direção da unidade pediu reforço para a segurança na área externa. Com a chegada de mais policiais, houve buscas e oito fugitivos foram recapturados perambulando pela região.
A PM também informou que pelo menos dois carros e uma motocicleta foram vistos dando apoio ao resgate dos presos. Os fugitivos também trocaram de roupa para dificultar a identificação. No estado, o sistema penitenciário adotou camisa branca e bermuda azul como uniforme padrão dos presos.
Segundo a Secretaria de Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), todas as torres de vigilância no entorno da penitenciária estavam ocupadas durante a fuga. Inclusive, a Sesed acrescenta que foi um dos guariteiros quem percebeu a movimentação, fez disparos de advertência e evitou que a debandada fosse maior.
Esta foi a segunda fuga registrada na PEP este ano. A primeira foi no dia 7 de janeiro, quando 14 detentos escaparam. Na ocasião, um buraco também foi escavado no pé do muro. Um policial militar que trabalhava em uma das guaritas da unidade, suspeito de ter facilitado a fuga, foi afastado.

Sistema em calamidade

O sistema penitenciário potiguar está em calamidade pública desde o dia 17 de março de 2015, após uma onda de rebeliões que atingiu pelo menos 14 das 33 unidades prisionais do estado. O decreto, renovado em março deste ano, tem validade por mais 180 dias.
G1
Leia Mais ››

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Filho de Fernandinho Beira-Mar é preso na Paraíba em operação da Polícia Federal


A Polícia Federal cumpre, desde às 6h desta quarta-feira (24/05), mandados de prisão em cinco estados e no Distrito Federal contra a quadrilha do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar. O filho do traficante foi preso na Paraíba.  

Na Paraíba foram cumpridos um mandado de prisão preventiva, um mandado de condução coercitiva e três mandados de busca e apreensão. Tanto o suspeito preso quanto a pessoa que foi conduzida coercitivamente estão sendo ouvidas na sede da Polícia Federal, em Cabedelo, de acordo com informações do delegado Raoni Aguiar.

A operação está acontecendo simultaneamente nos estados do Rio de Janeiro, Rondônia, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Ceará e no Distrito Federal.  A coordenação da operação é da Polícia Federal de Rondônia, de onde também foram expedidos os mandados.

Às 6h28, os agentes chegaram em um condomínio de luxo no bairro Vinte e Cinco de Agosto, em Duque de Caxias, onde mora Alessandra da Costa, irmã do traficante e apontada como sua conselheira. Contra Alessandra há um mandado de prisão por organização criminosa e lavagem de dinheiro. Até as 6h45, também tinha sido preso um braço-direito do traficante, no Ceará.

Após um ano e meio de investigações, a PF descobriu que Beira-Mar, preso na Penitenciária Federal de Porto Velho, em Rondônia, diversificou os negócios: os lucros agora vão além do tráfico de drogas. O criminoso controla máquinas de caça-níquel, venda de botijões de gás, cesta básica, mototáxi, venda de cigarros e até o abastecimento de água. A polícia descobriu que, mesmo preso no presídio Federal de Porto Velho, ele continuava liderando a quadrilha através de mensagens de papel e de celular. 

A investigação começou depois que agentes penitenciários encontraram um bilhete em pedaços dentro de uma quentinha. A quadrilha envolve parentes do traficante e pessoas que têm empresas para lavagem de dinheiro, para lavar o dinheiro do tráfico internacional de drogas. Nos últimos anos essa quadrilha chegou a movimentar R$ 9 milhões. 

Os policiais cumprem 35 mandados de prisão, sendo 22 prisões preventivas e 13 temporárias, 27 de condução coercitiva e 86 de busca e apreensão nos estados do Rio, Rondônia, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Ceará e no Distrito Federal. 

As principais áreas de atuação de Fernandinho Beira-mar são três comunidades de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense: favela Beira-Mar, Parque das Missões e Parque Boavista.

Desde 2006, Fernandinho Beira-Mar está preso em uma penitenciária federal. Em 2007, a Polícia Federal investigou o criminoso e descobriu que, apesar da vigilância, ele manteve o fornecimento de drogas (maconha e cocaína) para favelas do Rio. A investigação da PF, na ocasião, levou 19 pessoas para a prisão.

A operação Fênix, como foi chamada, descobriu que Beira-Mar escolheu a mulher, Jacqueline Alcântara de Morais para sucedê-lo no comando da quadrilha. Na ocasião, 19 pessoas foram presas e condenadas pela Justiça Federal do Paraná.

Em condenações, o traficante acumula penas que somam quase 320 anos de prisão em crimes como tráfico de drogas, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e homicídios.

Em 2015, o criminoso foi condenado a 120 anos de prisão apontado como responsável liderar uma guerra de facções, em 2002, dentro do presídio de segurança máxima Bangu I, no Complexo Penitenciário de Gericinó, na Zona Oeste do Rio, quando quatro rivais foram assassinados.


Fonte: O Globo
Leia Mais ››

24 DIA DO CIGANO - Discriminação e preconceito são rotina enfrentada por ciganos em Sousa e Cidades da Paraíba


“Eu declaro que conheço Antonio Seresteiro, cigano, portador no CPF número tal, e a Constituição Federal diz que ele tem o direito de ir e vir sem ser molestado, tem o direito de exercer sua profissão sem ser molestado, e se alguém quiser impedi-lo, ele tem o direito de saber quem o está prendendo e por que está prendendo e, se estiver prendendo de maneira errada, fique sabendo que é crime de abuso de autoridade, e se tiver dúvidas, telefone para Luciano Mariz Maia. Meu telefone é este (número do telefone)”. Há pouco mais de 20 anos, essa foi a primeira versão de salvo conduto expedido por um membro do Ministério Público Federal na Paraíba (MPF/PB) para que um cigano, que sempre era abordado e detido pela polícia na fronteira entre os estados da Paraíba e Pernambuco, pudesse transitar livremente e exercer suas atividades comerciais.
Em 20 anos, muitas transformações ocorreram no mundo. O avanço tecnológico permitiu a globalização da internet e o surgimento das redes sociais virtuais que já provocaram revoluções políticas em vários países nessa dupla de décadas, mas ainda não conseguiram quebrar a discriminação e o preconceito contra os ciganos na pequena Condado, cidade com 6.587 habitantes (IBGE/2010), localizada no sertão da Paraíba, a 47,5 km de Patos e a 362km da capital João Pessoa.
É que 20 anos depois daquele primeiro salvo conduto dado pelo MPF a Antonio Seresteiro (uma “carta de referência”, como os ciganos costumam se referir ao documento), outra declaração similar foi expedida por um membro do MPF, em 2015, para Carlos Antonio Cavalcante, integrante do grupo cigano calon que se fixou em Condado na década de 50. Segundo Maria Jane Soares, casada com Carlos Antonio, o pedido pela “carta de referência” foi feito por causa da perseguição que os ciganos ainda sofrem. “A gente teme muito sair de casa. Até as nossas roupas [tradicionais] a gente não veste mais como vestia, que é para ninguém identificar que a gente é cigano”, relata. Ela dá um exemplo: “quando ocorre algum roubo e tem ciganos por perto, os ciganos são logo acusados pelo crime”.
24 de maio - Dia Nacional do Cigano
“Somos pessoas muito mal vistas na cidade. A gente sempre é visto com muita discriminação. O atendimento é zero por parte dos órgãos públicos. Não temos nenhum apoio, nenhuma ajuda”, relata Jane Soares. Ela é presidente da Associação Comunitária dos Ciganos de Condado/PB (Ascocic), uma associação cujo estatuto prevê atuação em âmbito regional, nacional e internacional. “Nossos ciganos moram em Condado desde 1952 e nunca foram pegos roubando, matando, estuprando, invadindo, mas esse preconceito é terrível. Eu acho que Condado é o município que mais discrimina o povo cigano, mas a gente é tudo natural de lá e tem dificuldade de se desapegar de lá. Mesmo que a gente precise viajar para buscar nosso pão, a gente volta para Condado”, explica a presidente da Ascocic.
Situações como essas de discriminação, preconceito, racismo institucional, intimidação e abuso de autoridade foram relatadas pelos ciganos durante duas audiências públicas promovidas pelo Ministério Público Federal, em Patos e Sousa, nos dias 29 e 30 de março de 2017. O objetivo das audiências foi articular uma rede de proteção aos direitos dessa minoria étnica. Membros do MPF e representantes de diversos órgãos públicos, nas esferas estadual e municipal, e também de entidades e conselhos, participaram das audiências.
Violação de direitos - A população cigana do município de Condado tem sido objeto de estudos antropológicos e, desde 2013, também é alvo do projeto de extensão de Assessoria Jurídica Popular, Direitos Humanos e Comunidades Tradicionais (Ajup), desenvolvido pelo curso de direito das Faculdades Integradas de Patos. A Ajup participou da audiência pública em Patos e entregou para o Ministério Público Federal diversos documentos, entre eles uma carta reivindicativa e um dossiê, no qual relata casos de violação de direitos dos ciganos ocorridos em Condado.
Intolerância - Um desses casos retrata a intolerância dos jovens não-ciganos para com os jovens ciganos no município. Para evitar confronto, a administração pública determinou horários específicos para os jovens usarem o campo de futebol. “Os jovens de lá não querem jogar com os nossos. Então, tem um dia dos ciganos jogarem separados dos não-ciganos”, conta Maria Jane Soares, presidente da Ascocic. Ocorre que em certa ocasião, os rapazes não-ciganos chegaram antes do horário determinado e, segundo o dossiê da Ajup, impediram os ciganos de utilizar o bebedouro público. “Naquele bebedouro os ciganos não bebem”, disseram. O caso acabou em confusão e um jovem não-cigano registrou uma queixa de lesão corporal contra os rapazes ciganos.
Posteriormente, o denunciante retirou a queixa, no entanto, conforme a Ajup, a autoridade policial insistiu em chamar os jovens ciganos e aplicar-lhes um “puxão de orelhas” para não se envolverem em brigas. Para a Ajup, esse caso demonstra a necessidade das instituições estatais “refletirem sobre a função que o ordenamento jurídico e o Estado como um todo exercem na manutenção e perpetuação da discriminação racial aos povos ciganos”. Segundo a presidente da Ascocic, os jovens ciganos de Condado são vistos com maus olhos e são tratados pela polícia como adultos, “como um nada, como uma pessoa com quem eles podem fazer tudo, são tratados sem respeito”, denuncia.
Portas fechadas - Outro aspecto da discriminação ocorre na busca por uma vaga no mercado de trabalho. Jane Soares relata que já procurou emprego para os jovens ciganos em Condado e em diversas cidades da Paraíba. “Eles me pedem ‘tia, arruma um emprego para mim’”, conta a presidente da associação. “Já pedi tanto aos supermercados para darem emprego aos nossos jovens, uma chance, porque eles são jovens que têm responsabilidade, têm nome limpo, mas a dificuldade é máxima para um cigano arrumar um emprego”. Os próprios jovens também procuram eles mesmos conseguir um emprego, mas não são atendidos, relata.
As portas do mercado de trabalho também se fecham para os ciganos em Sousa, no sertão paraibano, cidade que registra a maior população cigana do estado. É o que relata o estudante universitário João Dias Pereira. Ele cursa Sociologia e tem previsão de colar grau no final do primeiro semestre de 2018. João Dias conta que no município várias fábricas estão sendo abertas. “Eu fiz o currículo e fui entregar ao rapaz. Ele olhou meu currículo e disse ‘olha, o seu currículo é bom, só que aqui não dá para você trabalhar e vou até te dar um conselho: quando você for fazer um currículo, não coloque que mora nessa rua, nem que você é cigano”, relembra. “No momento eu me senti muito chateado, mas, por educação, eu não discuti com ele e vi que ele tinha um pouco de razão, porque qualquer um de nós aqui que for procurar emprego em Sousa, não vai arrumar emprego dizendo que é cigano”, afirma resignado.
O estudante tem uma explicação para a discriminação atual: a mesma situação de racismo que os ciganos encontravam há 30 anos não mudou. “Por isso que eu digo: se quiser sustentar um filho, ter uma estrutura melhor, se quiser arrumar um emprego, ele [o cigano] vai ter que fugir da sua história étnica. Tem que dizer que não é cigano”, reconhece, mas ressalta que ele próprio não foge da etnicidade: “Se um cigano for como eu, se tiver a minha personalidade, com certeza ele não vai deixar de dizer a identidade dele”.
João Dias argumenta que todas as pessoas são iguais e o que diferencia uma pessoa de outra são apenas questões históricas, culturais e territoriais. Mas, conforme relata o estudante, em todos esses anos que os ciganos se fixaram em Sousa, nunca houve nenhuma ação de inclusão dos ciganos no mercado de trabalho do município, nenhuma melhoria estrutural dentro da comunidade. Ele pergunta: “você acha certo um ser humano morar num local desse?”, enquanto aponta o esgoto a céu aberto, as casas de taipa e chão batido e muito lixo espalhado por toda parte.
Leitura de mão - Para sobreviver, os ciganos ainda realizam troca e venda. Antigamente, os ciganos de Condado trocavam animais, selas, barracas. “Era um porco, um bode, uma galinha”, conta Jane Soares. “Hoje, quem tem carro [troca] é carro, quem tem moto troca moto, sobrevive de negócio, como começou o mundo”, explica. Já as mulheres conseguem algum dinheiro lendo mão e jogando cartas. Muitos também pedem esmolas para comer. A presidente da Ascocic lembra que as mulheres ciganas eram presas na Paraíba por praticarem a leitura de mãos. “E ainda hoje são”, acrescenta. “Eu já fui presa por isso. Minha mãe também. Já fomos colocadas para fora de cidades na Paraíba. Eles não aceitam, chamam a gente de vagabunda. Então, por que não dão emprego? Por que não dão espaço? Por que não nos dão oportunidade (de trabalhar)?, questiona.
Maria Jane Soares também é integrante do Conselho Nacional de Política Cultural do Ministério da Cultura, do Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial da Paraíba e da Comissão Nacional de Povos e Comunidades Tradicionais. “De 2013 para cá eu comecei a andar em Brasília e lá eu fiquei sabendo que a leitura de mãos e a jogada de cartas são a nossa cultura e a gente não pode deixar morrer”, explica.
"Até hoje a minha mãe sustenta a gente. Somos cinco filhos e a única que vive com ela sou eu. Ela pagou meus estudos, meu curso de Técnico em Enfermagem, lendo mão. Não tenho vergonha de dizer, porque foi com a cultura que ela criou a gente, deu alimento e educação ", conta Janete Soares, irmã de Jane.
Janete tem um filho de dez anos e sobrevive do Bolsa Família. Apesar da formação técnica, ela não conseguiu emprego e afirma que sofre muito preconceito. “Estagiei nos dois postos médicos da cidade, pedi, até implorei que me dessem uma chance para eu mostrar meu trabalho como técnica de enfermagem, mas a oportunidade foi dada a outros. Até agora eu ainda não pude exercer minha profissão”, diz em tom ressentido. “Eu sou condadense. Só não fiz nascer aqui, mas me criei aqui. A gente se sente muito inútil, porque estuda, vê as outras pessoas tendo oportunidade e você não. Por quê?”, pergunta e acrescenta: “Tenho muita fé em Deus que nós vamos conseguir cada um ter seu emprego, sua casinha para morar e ter com o que nos sustentar. A gente está nessa luta, batalhando”.
Não é crime - Não existe nenhum enquadramento penal para leitura de mão e leitura de cartas. Já houve no ordenamento jurídico brasileiro uma contravenção penal que significava exploração da fé pública, mas esse dispositivo legal foi revogado e não há mais lei criminalizando a atividade da credulidade pública. “Na ausência da contravenção penal, os agentes da lei ficam tentando enquadrar a leitura de mão e de cartas como se fossem estelionato ou extorsão, mas enquanto o legislador anterior considerava uma infração leve, bem menos grave que um crime, o legislador contemporâneo entendeu que nem contravenção a leitura de mão deve ser considerada. A lei respeita as culturas e as práticas culturais, entre as quais a leitura de mão e de carta”, ensina o subprocurador-geral da República Luciano Mariz Maia, coordenador da 6ª Câmara de Coordenação e Revisão, órgão interno do Ministério Público Federal que trata especificamente dos temas relacionados aos grupos que têm em comum um modo de vida tradicional distinto da sociedade nacional majoritária, como, indígenas, quilombolas, comunidades extrativistas, comunidades ribeirinhas e ciganos.
Na audiência pública em Patos, Luciano Maia enfatizou a necessidade de todos aprenderem a ver os ciganos como pessoas humanas concretas. “Ciganos têm nome e sobrenome”, reiterou, complementando que o destino dos ciganos está “nas nossas mãos, nas mãos dos prefeitos, dos gestores públicos e o que os ciganos esperam é ser tratados com respeito”. O subprocurador defendeu que o Programa Minha Casa Minha Vida também tem que ser para os ciganos e os programas de educação têm que ter a inclusão dos ciganos.
Em Sousa, o subprocurador voltou a ressaltar a importância do tratamento sem discriminação, e exemplificou relatando como foi o seu primeiro contato com os ciganos no município. Há 26 anos, Luciano Maia recebeu um convite do então senador Antonio Mariz para conhecer os ciganos de Sousa. (Mariz tinha sido prefeito de Sousa entre 1963 e 1969). Quando Maia chegou para conversar com os ciganos, curioso, questionou: "eu não vi nada que Mariz fez por vocês, como é que vocês podem gostar tanto dele?" A resposta que ouviu, nunca mais esqueceu: "Mariz trata nós como gente".
mpf
Leia Mais ››

Mais uma agência bancária é explodida no sertão da Paraíba


Um banco foi atacado na madrugada desta terça-feira (23) na cidade de Desterro, no Sertão da Paraíba. Segundo informações repassadas pela Polícia Militar, vários assaltantes armados fecharam as entradas da cidade por volta das 3h. Uma parte do grupo foi até a agência bancária, instalou e acionou os explosivos em um caixa eletrônico. O banco atacado pelos criminosos é privado.
Ainda de acordo com a Polícia Militar, após explodir o caixa eletrônico, os assaltantes fugiram da cidade atirando para cima. Desde a notificação do crime, a polícia realiza buscas na região da cidade, mas até o início da manhã desta terça-feira, nenhum suspeito tinha sido localizado.
A Polícia Militar também não informou que se algum dinheiro foi levado pelos bandidos. Até o caso registrado em Desterro, um levantamento feito pelo Sindicato dos Bancários da Paraíba apontava 26 casos de ataques a bancos registrados em 2017, 14 deles somente de explosões.
G1
Leia Mais ››

terça-feira, 23 de maio de 2017

Homem é morto a tiros nesta terça em Brejo dos Santos


Mais um homicídio é registrado na pequena cidade paraibana de Brejo dos Santos. Dessa feita, o crime de morte aconteceu por volta das 6:45h da manhã desta terça feira (23 de maio) no centro da cidade.
Segundo informações, a vítima Jaques Suassuna, conhecido como Neguinho de Rubinho Suassuna, foi surpreendido por dois indivíduos em uma motocicleta, que se aproximaram, efetuaram vários disparos de pistola .40 e em seguida fugiram tomando destino ignorado.
O corpo da vítima foi removido para o IML da cidade de Patos-PB para a realização do exame cadavérico.
A Polícia está investigando o caso. Até o presente momento não se sabe a autoria nem as motivações desse crime.
CATOLÉ AGORA
Leia Mais ››

Polícia Civil de Catolé do Rocha apreende adolescente acusado de estupro e ameaça


Nesta Segunda (22) por volta das 11:00 hs, a equipe de Investigadores, Delegado Anderson Fontes da 18a Delegacia Seccional de Polícia Civil de Catolé do Rocha-PB, cumprem mandado de busca e apreensão de um adolescente de 14anos de idade, residente no Sítio Lajes, zona rural da cidade de Jericó-PB. O mesmo é acusado de estupro e ameaça.
É válido salientar que já existia algumas denúncias anônimas de que o mesmo já era acostumado a cometer pequenos furtos em toda região próxima a sua residência. O menor será encaminhado para o Centro Educacional do Adolescente (CEA) em Sousa-PB.
Mais uma vez a Polícia Civil de Catolé do Rocha afirma, que nenhum crime cometido nessa comarca ficará impune, aqueles que assim fizerem pagarão pelos seus atos.
Agradecemos a colaboração da população de Catolé do Rocha/PB e região. Informações e denúncias através do 3441-2030 e 197, garantia de sigilo e anonimato absoluto.
18ª DELEGACIA SECCIONAL DE POLÍCIA CIVIL DE CATOLÉ DO ROCHA/PB
Leia Mais ››

Trio invade casa em Martins/RN, faz família refém e foge com joias e outros objetos.


Três ladrões invadiram uma casa, fizeram uma família refém e roubaram celular, aliança, cordão de ouro e outros objetos após revirar toda casa em busca de dinheiro e armas. O fato ocorreu por volta das 13h20 desta segunda-feira(22), na cidade de Martins/RN.

Os larápios vasculharam a casa enquanto a família ficou sob a mira da arma. Com a chegada da Polícia os três fugiram pelos fundos da residência levando os objetos e joias subtraídas. 
Na fuga os malévolos deixaram uma bolsa e a polícia acredita que também seja ´produto de outro roubo. 

Diligencias foram feitas e ninguém ainda foi preso.

*Informações e fotos: Martins em Pauta
Leia Mais ››

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Homem morre em colisão frontal de motos em São Bento, no Sertão da Paraíba


Uma colisão frontal envolvendo duas motocicletas, no início da noite do último domingo (21), em frente à AABB de São Bento -PB, causou a morte de Françuênio Tomaz de Araújo, 34 anos, residente no bairro São Bentinho na Terra da Rede.
Segundo a Polícia Militar de São Bento, a vítima ainda chegou a ser socorrida, pelo SAMU, até o hospital Maria Paulino Lúcio, porém, não resistiu aos ferimentos.
Os outros envolvidos no acidente não foram identificados pela Polícia Militar, a qual informou, ainda, a ocorrência de mais três acidentes com motos no domingo, sendo dois na ponte e outro em frente ao Posto de combustíveis Rota União, no entanto, não foram registrados pelo órgão de segurança, uma vez que, a PM, ao chegar ao local, populares já haviam retirado os veículos e socorrido as vítimas ao hospital.

SÃO BENTO EM FOCO
Leia Mais ››

Popular é encontrado sem vida nas proximidades de parque de vaquejada em Aparecida


Por volta das 6h40 deste domingo (21), o destacamento de Polícia Militar da Cidade de Aparecida foi informado por populares de que teria um homem caído ao solo, em provável óbito.
Diante das informações, os militares compareceram ao local juntamente com uma equipe do SAMU, onde foi constatado que o popular Victor Geraldo Andrade Silva de 40 anos, já se encontrava sem vida.

A equipe do SAMU constatou a causa da morte como sendo natural. Após os procedimentos rotineiros, o corpo foi liberado pela Polícia Civil para os familiares realizarem o velório e sepultamento.
SERTÃO INFORMADO
Leia Mais ››

Micaelense é morto dentro de casa na cidade de Tibau/RN.


Fredy Peixoto Fernandes, de 19 anos de idade, natural de São Miguel, foi assassinado com vários disparos de arma de fogo dentro de casa, na Praia das Emanuelas na cidade de Tibau no litoral Oeste do Rio Grande do Norte

A Polícia Militar informou que de acordo com relatos de testemunhas, a vítima estava em casa, quando um homem chegou e chamou pelo seu nome. Fredy abriu a porta e os dois entraram, foi quando o suspeito sacou uma arma e atirou na vítima que foi atingida e morreu.

Até o momento não há informações sobre a motivação do crime, bem como a identidade do responsável pelos disparos, mas a polícia acredita que o assassinato tenha sido motivado por vingança.

Consta no site do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, um processo de acusação de homicídio qualificado contra Fredy Peixoto Fernandes na Comarca de São Miguel.

A equipe do Itep de Mossoró, foi acionada para os procedimentos e remoção do corpo para sua base da Unidade Regional do órgão em Mossoró, onde deverá ser necropsiado.

Fim da Linha
Leia Mais ››

Complexo Hospitalar CIED, atendimentos de 22 a 26 de maio


Dermatologista, Oftalmologista, Clínico Geral, Otorrino, Fonoaudiólogo, Dermatologista, Neurologista, Fisioterapeuta e Psicóloga, são algumas das especialidades médicas que atenderão no decorrer da semana no CIED, em Alexandria/RN.

CONFIRA O CRONOGRAMA E AGENDE-SE!


SEGUNDA-FEIRA, 22/05
Dr. Geraldo Holanda
Ultrassonografia geral

Dr. David Abrantes
Dermatologista
Clinico geral
Pequenas cirurgias
Dr. Sérgio Moreira
Oftalmologista
Consulta de vista
Retorno de cirurgia
Capsulotomia (limpeza de lente)
Triagem do glaucoma

TERÇA-FEIRA, 23/05
Dr. Fernando Rodrigues
Otorrino
Videolaringoscopia
Princk teste (teste alérgico)
 Teste da orelhinha

Rafael Maniçoba
Fonoaudiólogo
Audiometria tonal e vocal
Aparelhos auditivos
Estimulação de linguagem oral e escrita
Reabilitação auditiva para crianças com implante de coclear
Reabilitação das patologias da voz
Terapia fonoaudiologia para crianças autistas

QUARTA-FEIRA, 24/05
Dr. Geraldo Holanda
Ultrassonografia geral

Dr. David Abrantes
Dermatologista
Clinico geral
Pequenas cirurgias
Dr. Erasmo Firmino 
Neurologista
Eletroencefalograma

QUINTA-FEIRA, 25/05
Rafaela Lócio
Fisioterapeuta
Fisioterapia neurológica
Fisioterapia respiratória
Fisioterapia ortodica e
Reumatologia

Dr. Sérgio Moreira
Oftalmologista
Cirurgia de pterígio
Cirurgia de catarata
Cirurgia de glaucoma

SEXTA-FEIRA, 26/05
Dr. Geraldo Holanda
Ultrassonografia geral

Dr. David Abrantes
Dermatologista
Clinico geral
Pequenas cirurgias
Dr. Sérgio Moreira
Oftalmologista
Cirurgia de pterígio
Cirurgia de catarata
Cirurgia de glaucoma

Luana Maniçoba
Psicóloga
Psicoterapia individual
Atendimento com ênfase queixas escolares
Acompanhamento escolar e familiar.

Diariamente uma equipe técnica realiza os exames de imagens: Eletrocardiograma, mapa, holter, eletroencefalograma, raio x geral digital, mamografia digital, densitometria, campimetria, biometria + Ceratometria.

O Centro de Imagens Elizabete Dantas – CIED fica localizado na Rua Dr. Antônio Mousinho Fernandes, 369 – Bairro Boa Vista, Alexandria/RN.
Atendimentos pelo SUS - Prefeituras e particular.
Contato: (84) 3381- 2981/ Celular: (84) 99667-0006 – TIM.

Com Marcos Almeida
Leia Mais ››